Quando seu iPhone apresenta um problema, é sempre aquele drama: ou você troca na longa fila de espera da Apple, com agendamentos quase que impossíveis, ou opta por alguma assistência técnica, por um preço muito mais em conta e agilidade no serviço. A Apple por anos alegou que caso seu iPhone fosse aberto, a garantia estaria perdida. Bem, parece que esses dias estão contados.

O “Right to Repair” ou “Ato do Direito de Reparo” é um projeto de lei que oferece mais opções de conserto para seus aparelhos. Consumidores, proprietários de produtos e profissionais independentes devem ter o direito de reparar, revender e reutilizar seus produtos. Desde que a ideia foi introduzida, no começo do ano passado, já conquistou 17 estados norte-americanos; O mais recente a juntar-se à campanha foi Califórnia;

Em resumo, o documento exige às gigantes empresas da tecnologia que confeccionem manuais e disponibilizem peças oficiais para o reparo de seus produtos, liberando os clientes para ajustar o aparelho com terceiros ou até mesmo realizar a trabalho em casa.

A Apple parece estar disposta a entrar na guerra, de acordo com uma reportagem do site Motherboard, muitos usuários têm uma reclamação em comum: telefones que tiveram a tela trocada não reconhecem mais os toques no display, apesar de exibirem normalmente as imagens. O problema apareceu junto com a atualização de sistema iOS 11.3

Ano passado, na Noruega, a Apple também descobriu um pequeno centro de reparo não-autorizado para os seus produtos que estava utilizando peças alternativas nos serviços. Cupertino enviou uma carta ao dono do negócio, ordenando que ele cessasse as atividades imediatamente, destruísse as peças falsificadas e pagasse uma multa.

O dono da assistência decidiu que não assinaria nada. E a Apple, mesmo recorrendo à justiça saiu perdedora no embate. A corte do país determinou que a lei norueguesa “não proíbe que uma pessoa que conserta aparelhos móveis importe telas de fabricantes asiáticos que sejam 100% compatíveis e totalmente idênticos às peças da Apple, contanto que as marcas registradas da Apple não estejam aplicadas no produto”.

Inspirados nesse movimento que está conquistando grandes frutos desde que iniciado, e observando como nossos clientes sofrem com o monopólio da Apple em relação aos reparos de seus produtos, estamos iniciando por aqui, uma petição na qual recolheremos nomes para que a lei do reparo seja alterada, podendo assim os clientes terem a liberdade de trocarem as peças dos aparelhos onde desejarem, sem nenhuma inconveniência no caminho.

Assine a petição agora: https://secure.avaaz.org/po/petition/Usuarios_de_iPhonesiPads_Direito_ao_Reparo/?cYPZUmb