Apple é acusada de obsolescência programada por órgãos europeus

Consumidores da Bélgica, Itália e Espanha estão insatisfeitos com a qualidade dos aparelhos da maçã.

Publicado em: , por Bia Lemos

A obsolescência programada é tema constante nos debates mais acalorados acerca de tecnologia. Trata-se da decisão de diminuir a vida útil do produto propositalmente, incentivando o consumidor a comprar um modelo mais novo e mais tecnológico em um curto espaço de tempo. Não tem como falar deste assunto sem associá-lo à Apple, pois a gigante é constantemente acusada de ser uma das adeptas.

A denúncia mais recente partiu da Altroconsumo, Associação Italiana pró-consumidor, que corresponde ao nosso Procon. De acordo com informações obtidas pelo site MacRumors, o órgão acusa a Apple de praticar a obsolescência programada nos iPhones 6, 6Plus, 6S, e 6S Plus, que venderam 1 milhão de unidades entre 2014 e 2020 no País.  A entidade requer 60 milhões de Euros pela conduta desleal da fabricante para ressarcir os consumidores. Em reais, o montante equivale a 400 milhões.

Em nota enviada à Reuters, a Apple negou as acusações e disse que nunca reduziu a vida útil de seus eletrônicos ou adotou qualquer medida para prejudicar a experiência dos usuários. Mas o processo movido pela Altroconsumo não é o único desta natureza, a acusação encontra respaldo em outros processos em andamento na Espanha e na Bélgica. 

As ações movidas pelos países europeus estão sendo coordenados pela Euroconsumers, organização de defesa do consumidor, que pretende processar a maçã também em Portugal, em conjunto com um grande número de consumidores que se sentem igualmente lesados pela Apple.

A Euroconsumers alega que a prática, além de ilegal, é ambientalmente irresponsável. A organização também criticou diretamente a postura da Apple e a baixa qualidade de um de seus smartphones.

“Os consumidores estão cada vez mais frustrados com os produtos que se desgastam muito rápido, sendo os modelos do iPhone 6 um exemplo concreto da prática. Eles [consumidores] querem que a Apple os trate com respeito e exija ações concretas para corrigir a situação e garantir telefones mais sustentáveis”, diz o comunicado. 

Não está fácil para a Apple. A situação, além de desconfortável para a empresa, destoa do discurso ecologicamente correto que a fez retirar os acessórios das caixas dos iPhones sob a justificativa de reduzir o lixo eletrônico em todo o mundo.

Mais Notícias

Todos os posts carregados